Doria inclui ação anticrack no Plano de Metas

Após a crise envolvendo a Cracolândia, deflagrada em maio, a gestão do prefeito João Doria (PSDB) decidiu incluir o programa de tratamento de usuários de drogas no Plano de Metas (2017-2020). Agora, a Prefeitura promete criar em quatro anos 2 mil vagas de atendimento a dependentes químicos na capital, entre as quais 970 vagas de acolhimento em repúblicas e albergues, 500 vagas em leitos hospitalares de desintoxicação e 100 vagas em residências terapêuticas.

A versão final do plano foi entregue nesta segunda-feira, 10, na Câmara Municipal de São Paulo, depois de passar por consulta popular. “A inclusão do tema reforça o compromisso da Prefeitura de São Paulo em enfrentar o problema do uso abusivo de psicoativos”diz o texto.

“Para atingir a meta, houve a inclusão do projeto Redenção, também em função das sugestões feitas pelos munícipes”, afirma a gestão Doria no texto final do Plano de Metas. Em relação ao plano apresentado pelo prefeito no fim de março, foram feitas seis alterações, sendo uma retirada, três acréscimos e duas modificações de metas.

Fonte: estadao.com.br